.st0{fill:#FFFFFF;}

Videohisteroscopia 

A histeroscopia (ou videohisteroscopia) é um exame onde é introduzido através do colo uterino um instrumento fino de aproximadamente 5 mm (histeroscópio) tem como objetivo a avaliação da cavidade uterina trazendo o diagnóstico de patologias uterinas como miomas, pólipos, endometrite, câncer, entre outras.

A histeroscopia, além de ter o poder de diagnosticar patologias uterina, é capaz de ser realizada em regime ambulatorial sendo bem tolerada sem anestesia, porém pode ser realizada sob sedação, trazendo assim mais conforto a paciente e tratamento imediato de algumas dessas doenças.

Indicações

Tem como indicações principais: infertilidade, abortamento habitual, sangramento uterino anormalpóliposmiomas, espessamento do endométrio, suspeita de câncer de endométrio e suspeita de malformações ginecológicas.

Histeroscopia Diagnóstica

Investigação de infertilidade

infertilidade é hoje um dos problemas da mulher moderna que mais aflige a população feminina, sendo uma das queixas mais frequentes nos ambulatórios de ginecologia.

Investigação de endometriose

endometriose é uma doença mais frequente do que as pessoas imaginam. Estima-se que 15% das mulheres entre 15 e 45 anos de idade possuem essa doença. Esse percentual sobe para até 70% quando a mulher apresenta história de infertilidade ou dor pélvica.

Investigação de sangramento uterino anormal

O termo sangramento uterino anormal engloba uma série de patologias e/ou alterações hormonais femininas. Na realidade qualquer alteração no ciclo menstrual normal recebe o nome de “sangramento uterino anormal”.

Investigação de dor pélvica

Considera-se uma paciente portadora da síndrome de dor pélvica crônica (DPC), aquela que apresenta dor no andar inferior do abdome anterior (baixo ventre), abaixo da cicatriz umbilical, ou ainda, na parte das costas em região lombossacra (“pé das costas”).

Histeroscopia Cirúrgica

Polipectomia

Polipectomia histeroscópica permite a remoção ambulatorial de pólipos.

Miomectomia

Miomectomia, às vezes também fibroidectomia, refere-se à remoção cirúrgica de leiomiomas uterinos, também conhecidos como miomas. Em contraste com uma histerectomia, o útero permanece preservado e a mulher retém seu potencial reprodutivo.

Septoplastia

O útero septado é uma malformação uterina que causa abortos e problemas no desenvolvimento do embrião. A cirurgia é realizada através de histeroscopia, um procedimento cômodo, fácil e rápido, sem a necessidade de uma operação pelo abdome. Essa correção diminui as taxas de aborto em até 5,9% dos casos e aumenta as chances de concepção em até 80% deles.

Lise de sinéquia

Sinéquias uterinas são aderências (cicatrizes) que se formam no interior do útero. Essas aderências podem envolver tecido endometrial (que reveste internamente o útero) ou fibromuscular, e são classificadas em mínimas, moderadas ou graves.

Outros

  • Colocação, reposição e retirada de DIU
  • Remoção de restos ovulares (aborto retido)
  • Remoção de corpo estranho

Perguntas e Respostas Frequentes sobre a Histeroscopia

O exame de histeroscopia pode ser realizado com sangramento?

Sim, principalmente quando a investigação é o próprio sangramento. Quando se quer investigar outras patologias (pólipos, miomas, infertilidade etc.) dê preferência ao período posterior ao término da menstruação.

O exame de histeroscopia pode ser realizado com atraso menstrual?

Não, pois esse exame tem o potencial de ser abortivo. Não realizamos o exame em vigência de atraso menstrual sem o BHCG recente em mãos.

O exame de histeroscopia pode ser dolorido?

A dor é uma sensação particular de cada indivíduo, portanto esta pergunta é muito particular, mas a resposta é sim, o exame pode ser dolorido, sendo com uma intensidade de uma leve cólica até mesmo uma intensidade que impeça a realização do exame. Por esse motivo oferecemos anestesia a paciente sem doenças graves e com menos de 60 anos de idade.

Por que fazer o exame de histeroscopia com anestesia?

Como o exame pode ser doloroso, fica mais confortável para o médico examinador e a paciente a realização do mesmo, assim podemos realizar o exame e tratar possíveis patologias de imediato.

Tenho que levar exame com ultrassonografia transvaginal ou outro exame?

Sim, sempre que estamos investigando uma patologia, quanto maior número de dados tenhamos em mãos, melhor será a possibilidade de encontrarmos um diagnóstico.

Após realiza o exame posso apresentar dor ou sangramento?

Sim, mas após o exame ser realizado o médico examinador orientará a paciente como proceder em caso de dor ou sangramento, imediatamente ao exame ou posteriormente em casa.

É importante a realização da biópsia?

Sim, quando a realização desta fizer parte do diagnóstico.

Posso realizar o exame de histeroscopia com febre, gripe, tosse ou resfriado?

Caso a febre seja alta (maior que 38 graus), apresentar congestão nasal, dores no corpo e mal estar geral, aconselhamos a procurar o seu médico assistente e reagendar uma nova data para a realização do exame.

Por que do jejum total? Por que nem água?

O jejum completo é obrigatório, inclusive água, pois caso o estômago esteja cheio a paciente poderá apresentar vômito e aspirá-lo resultando em pneumonia grave.

Existe alguma recomendação após a realização do exame de histeroscopia?

Sempre após o exame, orientamos a paciente sob a responsabilidade de ocorrência de dores e sangramentos.

Orientações Para Realização do Exame de Histeroscopia

  • O exame pode ser realizado sob anestesia (em pacientes com até 60 anos de idade), onde a paciente deverá estar em jejum de 6 (seis) horas no mínimo (não pode beber nem água).
  • O exame pode ser realizado na ocorrência de sangramento, quando for solicitado pelo seu médico assistente, ou seja, se o sangramento for o motivo da investigação.
  • Trazer sempre os exames de ultrassonografia transvaginal, ressonância nuclear magnética, histerossalpingografia, caso os tenha.
  • De preferência realizar o exame após a menstruação, principalmente em investigação da infertilidade.
  • Vir para o exame sempre acompanhada (acompanhante maior de 18 anos). EM hipótese nenhuma o exame será realizado com anestesia sem acompanhante.
  • Em caso de atraso menstrual, o exame será realizado com teste de gravidez (BHCG) recente negativo.
  • Suspender medicações como: AAS, Ginko Biloba e Clopidogrel ou qualquer medicamento que influencie nos fatores de coagulação.
  • Manter remédio para hipertensão, diabetes, alterações de tireoide e outros que façam uso de rotina, mesmo no dia do exame. Caso não consiga engolir o remédio sem líquido, poderá tomar o remédio com um pequeno gole de água.
  • Nos casos de problemas graves de saúde, poderá ser necessário a liberação do médico assistente ou até mesmo do seu cardiologista.
  • O paciente deverá chegar ao local do exame com pelo menos 30 (trinta) minutos de antecedência para conferência da autorização do convênio.
  • Manter os métodos contraceptivos no período que anteceder o exame.
  • Paciente com dor pélvica aguda deve evitar o exame a não ser que o mesmo faça parte da investigação diagnóstica.
  • Em caso de exames sob anestesia a paciente não poderá dirigir veículos automotores.
  • Caso não possa comparecer na data agendada, entrar em contato para o cancelamento do exame.
Compartilhe!

Fale Conosco

Nossos Serviços

Pág. [tcb_pagination_current_page] de [tcb_pagination_total_pages]